Portal do Governo Brasileiro

Estados da região Norte inovam nas formações dos profissionais de saúde via Itinerários do Saber

8 de Janeiro de 2018

Além de sinalizarem a oferta de cursos dos quatro eixos previstos no projeto – Saúde Mental, Acolhimento em Saúde, Vigilância em Saúde e Segurança do Paciente, Escolas apostam no eixo inovador

A capacitação dos profissionais de saúde de nível médio e técnico em Libras para atender a população de surdos e mudos é um exemplo de cursos que estão como prioridade para as escolas técnicas do Sistema Único de Saúde da Região Norte, via projeto Itinerários do Saber. Além de sinalizarem a oferta de cursos dos quatro eixos previstos no projeto – Saúde Mental, Acolhimento em Saúde, Vigilância em Saúde e Segurança do Paciente – as escolas também apostam no eixo inovador que tratará, entre outros temas, sobre Nutrição e Obesidade. Outro tema de interesse levantado pelas escolas como necessidade de capacitação para os profissionais de saúde envolve a área de oncologia, como os efeitos da radioterapia e da quimioterapia na cavidade bucal e a segurança do paciente na odontologia para pacientes oncológicos.

Os diretores das escolas também articularam a construção de diretrizes para a elaboração de projetos político-pedagógicos em comum para a Região Norte, que atendam as particularidades dos estados nos cursos oferecidos com apoio do Itinerários do Saber. Para isso, será programada uma oficina entre os representantes das escolas para discutirem quais cursos podem ser abordados de forma coletiva. Esses pontos foram tratados na oficina de trabalho do projeto Itinerários do Saber realizada no Rio de Janeiro, em dezembro. Abaixo, as perspectivas dos representantes das escolas com o projeto Itinerários do Saber para 2018.

“A gente está muito confiante com o Itinerários do Saber, é claro que existe uma dificuldade por conta da distância e da comunicação nos Estados do Norte, mas a gente está fazendo uma dinâmica de corpo a corpo com os secretários e gestores municipais para que possamos ter um retorno dos municípios em 2018. A gente acredita que a formação e a capacitação dos profissionais evitam um fluxo de serviços lá na frente, e é isso que nós queremos”, afirma Sandra Mendes, diretora da ETSUS de Roraima.

Assista ao vídeo

Para Angelita Mendes, diretora da ETSUS em Rondônia, o Itinerários do Saber vem de encontro a necessidade da escola. “Municípios e Estado têm objetivos comuns que é o usuário do SUS, então para nós o projeto só vem a acrescentar, como foi o Caminhos do Cuidado. Pela segunda vez, Rondônia entra no projeto encabeçado pelo Ministério da Saúde, juntamente com a Fiocruz, e a gente tem uma previsão de atender ao SUS junto ao território e ao nosso usuário, levando uma melhor qualidade da assistência, levando propostas de promoção à saúde, prevenção de doenças e fazendo com que esse gestor que está no território possa contribuir de forma efetiva para mudança desse perfil epidemiológico, impactando positivamente nesse território e nesse município. Desta forma, a gente acha importante trabalhar com os profissionais de saúde na capacitação com Libras, uma vez que a população de surdos e mudos vem crescendo”, defende Angelita Mendes.

Assista ao vídeo

“Foi muito oportuna e produtiva a oficina, uma vez que essa foi a primeira reunião que nós tivemos para pontuar as nossas atividades para 2018 para o Itinerários do Saber. Também foi uma inovação que a Região Norte vai se reunir para construir alguns cursos em parceria, como o curso de Segurança do Paciente, e depois cada Estado colocará a especificação de cada uma das Regiões de Saúde. Com isso estaremos nos fortalecendo como rede de escolas e também fortalecendo a regionalização e a organização da rede de serviço”, explica a diretora da ETSUS em Tocantins, Inez dos Santos Gonçalves.

Assista ao vídeo

“As especificidades de um local também era a demanda da nossa regionalidade do Estado do Acre, então foi importante compartilhar as perspectivas de cursos para 2018 com outras escolas. O projeto Itinerários do Saber tem um vasto material e vai nos possibilitar também a confecção de outros materiais com as demandas que cada região necessita”, observa Isamar de Andrade Moreira, diretora da ETSUS no ACRE.

Assista ao vídeo

Raimundo Sena, diretor ETSUS do Pará, diz que o projeto Itinerários do Saber contempla um pleito das escolas técnicas que é de ser protagonista tanto da proposição de cursos quanto da oferta deles, ponto defendido pelas escolas desde o projeto anterior Caminhos do Cuidado. “É uma possibilidade de avançar no processo de educação permanente e na Política Nacional de Educação Permanente na Saúde e nós, a ETSUS do Pará, estamos aderindo a dois eixos do projeto – Acolhimento em Saúde e Segurança do Paciente, notadamente no SUS mas com ampliação para iniciativa privada”, ressalta Sena, que também defendeu a iniciativa de construção de diretrizes para a elaboração de projetos político-pedagógicos em comum para a Região. “É fundamental que em um país com a dimensão do Brasil, com a diversidade demográfica e epidemiológica, nós trabalharmos os processos formativos para o SUS olhando a essa diversidade e as necessidades de cada Região, olhando as regiões de saúde e a construção das Redes de Atenção à Saúde nessas regiões. Desta forma, nos articulamos para fazermos essa discussão regionalizada para assim definirmos as diretrizes para elaboração de projetos políticos-pedagógicos desses cursos em comum para a Região”, defende Raimundo Sena.

Assista ao vídeo

Para a assessora pedagógica do projeto Itinerários do Saber da ETSUS do Amazonas, Elizabeth Nahmias, a oficina teve um momento ímpar que foi o compartilhamento das demandas para 2018. “Esse planejamento foi um momento espetacular porque a nossa demanda no Estado do Amazonas hoje é a questão da oncologia. Então nós estamos trazendo cursos inovadores, que é o curso de capacitação em cuidados paliativos, os efeitos da radioterapia e da quimioterapia na cavidade bucal, a segurança do paciente na odontologia, emergência e a biossegurança, dentre outros cursos que nós vamos executar na área da oncologia. Também achamos necessária a formação dos profissionais de saúde em Libras que realmente tem tido uma grande procura no nosso Estado”, afirma.

Assista ao vídeo

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Mais notícias