Portal do Governo Brasileiro

"Ninguém escapa da educação", afirma Carlos Rodrigues Brandão

16 de Abril de 2019

A frase é do professor, pesquisador e escritor Carlos Brandão, convidado para ministrar aula sobre "O mundo da Educação" para os alunos do Curso de Aperfeiçoamento da Gestão da Atenção Básica na Contemporaneidade, coordenado pelo Icict/Fiocruz. 

Carlos Rodrigues Brandão passou o dia 27/03 com a turma de alunos (que ele prefere chamar de comunidade de aprendentes), em Brasília, quando propôs reflexões sobre as formas, os lugares e os processos de aprendizado. Ao afirmar que ninguém escapa da educação, o professor convidou a comunidade de aprendentes a pensar sobre questões como: onde eu estudei formalmente? Onde eu aprendi na minha vida? Em que lugares aprendi e com que pessoas? Assim, Brandão ponderou sobre o complexo mundo da educação, as primeiras experiências de aprendizado na infância, em casa, na rua, na igreja, na escola, com os pais, amigos de rua, afirmando que "todos os dias misturamos a vida com a educação".

"Eu tenho defendido uma tese que nós não somos humanos porque somos racionais. Ou humanos porque somos políticos. Todos nós somos filósofos. Todos temos uma série de concepções que misturam ideologia, religião, artes, concepções políticas. Mas nós somos humanos porque somos aprendentes. Seres do aprendizado", afirmou Brandão ao defender que o processo de educação é permanente e que se dá ao longo de toda a vida.

Sobre o tema abordado, o professor e autor do livro "O que é Educação?", que já está na sua 60ª edição, destacou quatro pilares fundamentais para o aprendente: aprender a fazer; aprender a aprender; aprender a conviver; e aprender a ser. Brandão destacou ainda que a razão de ser da Educação é o desenvolvimento humano, que emancipa e transforma pessoas em seres conscientes e colaborativos para lidar com os desafios contemporâneos.

"Nós vivemos em um momento na agricultura, na saúde, na questão ambiental, em várias áreas, tanto públicas quanto sociais, em que há setores, há pessoas implicadas, não só em uma relação pessoal, individual, e sim coletiva com o outro. Pessoas que têm uma dimensão pedagógica que envolve a atenção ao diálogo em torno de saberes e conhecimentos. Vocês todos não precisam ser professores, mas são educadores", enfatizou o professor.

Carlos Rodrigues Brandão

Psicólogo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1965); mestre em antropologia pela Universidade de Brasília (1974). Doutor em ciências sociais pela Universidade de São Paulo (1980); livre docente em antropologia do simbolismo pela Universidade Estadual de Campinas.
Realizou pós-doutorado na Universidade de Perugia e na Universidade de Santiago de Compostela. É "fellow" do St. Edmund's College da Universidade de Cambridge e colaborador do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), além de ser professor visitante da Universidade Estadual de Goiás.

Possui experiência na área de antropologia, com ênfase em antropologia camponesa, antropologia da religião, cultura popular, etnia e educação, com foco na educação popular. É Comendador do Mérito Científico pelo Ministério de Ciência e Tecnologia, doutor honoris causa pela Universidade Federal de Goiás e pela Universidad Nacional de Lujan (Argentina), bem como professor emérito da Universidade Federal de Uberlândia e da Universidade Estadual de Campinas.

Escreveu artigos e livros nas áreas de antropologia, educação e literatura.

Sobre o Curso

O Curso de Aperfeiçoamento da Gestão da Atenção Básica na Contemporaneidade é destinado a profissionais de saúde de nível superior do Departamento de Atenção Básica, da Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde (DAB/SAS/MS). A formação visa, a partir das perspectivas da informação e da comunicação em saúde, contribuir para potencializar as estratégias do Departamento, produzindo informação capaz de orientar as ações em saúde, especialmente relacionadas à normatização e coordenação de politicas e programas estratégicos do Ministério.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Mais notícias